sábado, 26 de maio de 2012

Estruturalismo Europeu

O termo estruturalismo em linguística serve para designar uma corrente de pensamento do inicio do século XX, fundamentada na afirmação de Ferdinand de Saussure de que "a língua não é um conglomerado de elementos heterogêneos; é um sistema articulado, onde tudo está ligado, onde tudo é solidário e onde cada elemento tira seu valor de sua posição estrutural" (Saussure, citado em Leroy (1971:109)).
Os linguistas encontraram nas ideias renovadoras de Saussure o ponto de partida para desenvolver novos métodos e teorias. Foi o caso da chamada Escola de Praga, Escola de Genebra e a Escola de Copenhague. Coseriu (1980) afirma que a Escola de Praga surgida em 1925 a 1939 liderou o Circulo linguístico de Praga, através de seus membros mais influentes, os russos Raman Jakobson e N. S. Trubetskoi, este último um dos mais importantes, é considerado o verdadeiro e efetivo criador da fonologia, com os seus Fundamentos de fonologia. Os integrantes da escola de Praga assinalaram a importância da fonologia no sistema da língua.
Elia (1978) cita que a base das distinções realizadas por Saussure entre língua e discurso, sincronia e diacronia, os linguistas da escola de Praga proclamaram a necessidade de se fazer distinção entre fonologia e fonética, dois termos usados até então para definir a ciência dos sons. Segundo eles, a fonologia estuda as funções linguísticas dos sons, os fonemas, enquanto a fonética se preocupa com a produção e as características dos sons da fala. À escola de Praga deveu-se também a definição de fonema como a unidade mínima do significante que está no plano da língua, assim como o conceito de traços pertinentes, distintivo ou funcional dos fonemas.
Os linguistas escandinavos Viggo Brøndal e Louis Hjelmslev, criadores da teoria da linguagem conhecida como glossemática, foram os principais representantes do Círculo Linguístico de Copenhague, fundado em 1931, e que também se inspirou nos conceitos de língua, discurso, sincronia e estrutura de Saussure. Coube a Hjelmslev criar uma das mais conhecidas e precisas definições da linguística estrutural (Leroy, 1971:114): "conjunto de pesquisas baseadas na hipótese de que é cientificamente legítimo descrever uma língua como, essencialmente, uma unidade autônoma de dependências internas ou, numa só palavra, uma estrutura".

Prof.Ms.Giselda dos Santos Costa
CEFET-PI/ UNED -Floriano – 2000

Grupo: Mateus, Jacqueline e Karine

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário